Um olhar sobre o livro “História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar”

No âmbito da Actividade Integradora que a turma SEC4 se encontra a desenvolver sobre o tema “Ambiente e Sustentabilidade” foi proposto aos formandos a leitura do livro “História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar” e a elaboração de uma reflexão pessoal sobre o mesmo.

Os resultados deste trabalho foram surpreendentes!

Veja agora alguns comentários dos formandos sobre esta obra! Esperamos que os mesmos constituam um forte incentivo para a leitura da mesma!

“Esta história é uma autêntica lição de vida de dois seres diferentes, que o destino juntou e que, por honra de uma promessa, acabam por construir uma bela amizade, cheia de valores, entre os quais se destacam a lealdade e a solidariedade.

A história foca sobretudo o problema das marés negras, um dos flagelos da actualidade, provenientes do derramamento de petróleo para as nossas águas, que tem efeitos devastadores, provocando uma enorme mortandade entre a fauna e a flora. Quando estas atingem as zonas costeiras provocam um forte impacto negativo na actividade piscatória e turística, porque os resíduos petrolíferos são de remoção difícil e impedem a utilização das águas e das praias durante muito tempo.

Recomendo a leitura do livro a todas as faixas etárias, na medida em que posso afirmar que, além de muito interessante é, sem dúvida, de fácil leitura e de uma riqueza de valores inigualável.”

Maria Altina Costa

“Como estamos a estudar o núcleo gerador dois, cujo tema é “Ambiente e Sustentabilidade”, penso que a leitura do livro de Luís Sepúlveda foi uma mais-valia para o desenvolvimento deste tema, pois o livro refere uma catástrofe que é muito prejudicial para o ambiente – as marés negras. Foi devido a um derrame de petróleo no mar que a gaivota Kengah, uma das personagens deste livro, faleceu.

O livro foi do meu agrado, visto que é de fácil leitura, é pequeno e de boa compreensão e realça a importância da amizade entre seres diferentes, a lealdade e a solidariedade.”

Tânia Almeida

“Neste livro Luís Sepúlveda também chama a nossa atenção para a poluição das praias. Os humanos fazem do oceano uma enorme lixeira, despejando nas praias garrafas de plástico, pneus, barris de insecticida, etc.

Esta história leva-nos a pensar que os humanos ainda têm muito a aprender sobre alguns valores fundamentais, como a amizade, a solidariedade, a honra e o respeito por seres diferentes.

Gostei de ler o livro pois a história é bastante interessante e encantadora, mostrando a importância dos valores da amizade, da solidariedade e do cumprimento da palavra, os quais nem sempre as pessoas valorizam no seu dia-a-dia.”

Sofia Fernandes

“Na minha opinião, esta história é muito bonita e fácil de ler. Por isso recomendo a sua leitura, não só porque é uma bela história, mas principalmente porque nos traz ensinamentos, despertando a nossa atenção para vários problemas ambientais, tais como as marés negras e a extinção de espécies.”

Adriana Silva

“Gostei imenso da leitura que fiz do livro porque, para além de nos transmitir uma óptima lição de vida, alerta-nos para o mal que o Homem faz à Natureza e, por conseguinte, aos animais que nela habitam!

A história deste livro é, sem dúvida, uma fantástica lição de vida para todos nós! É uma história de uma linda amizade e de valores fundamentais, tais como a lealdade, a solidariedade e a bondade que, muitas vezes, não conseguimos ver no nosso dia-a-dia. É um exemplo a seguir, pois o impossível também é possível concretizar, desde que haja vontade e perseverança.”

Ana Ferreira

“É um livro pequeno, mas com um grande significado porque nos alerta para o grave problema da poluição dos mares. Sem nos apercebermos, estamos a matar seres vivos, devido às nossas acções irreflectidas. Despejamos nos mares todo o tipo de resíduos, tais como sacos plásticos, pneus, insecticidas, etc. Para assegurarmos o nosso bem-estar, sacrificamos a vida de outros seres.

Penso que por ser uma fábula, é um livro de fácil leitura e engraçado. Recomendo a sua leitura porque é um livro pequeno e com uma lição de vida fácil de perceber.”

Carla Jesus

“Gostei de ler este livro. No início, achei-o um pouco confuso, mas depois, à medida que fui seguindo a história, esta acabou por me cativar. O livro é de leitura fácil e interessante. Por isso recomendo a sua leitura a qualquer pessoa, pois penso que é um livro para todas as idades.

Fernanda Costa

“O livro aborda vários temas, entre os quais, a poluição dos mares, o altruísmo, a coragem e a amizade entre seres diferentes, este último, quanto a mim, o mais importante, porque a aceitação de um ser diferente, pelas diferenças que o definem e simultaneamente o separam de outros seres, é muito difícil.

O altruísmo, quanto a mim, foi demonstrado nesta história quando os gatos pediram a ajuda de um humano, pois para isso tiveram de comunicar com ele na língua dos humanos e tal atitude poderia pôr em risco a sua liberdade.

Na minha opinião, o livro é interessante porque transmite uma mensagem positiva e de esperança.”

Leonor Ferreira

“Na minha opinião, este é um bom livro, para qualquer idade e não apenas para crianças. É um livro que está muito bem escrito, numa linguagem clara e simples. Recomendo a sua leitura pois é muito fácil de ler, tem algumas peripécias divertidas das personagens e no final tiramos alguns grandes ensinamentos, tais como, a amizade entre diferentes espécies e a importância do cumprimento do dever.

O livro tem também uma vertente ecológica, pois através da história dramática da gaivota Kengah, pretende sensibilizar-nos para as consequências nefastas da poluição dos mares e promover deste modo a mudança de comportamentos.”

Sandra Fernandes

“Aconselho a leitura desta fábula para que as pessoas vejam o mal que fazem ao meio ambiente e a quem nele vive.

Esta é uma história muito interessante, que consegue captar a nossa atenção, embora, no meu entender, os primeiros quatro capítulos sejam muito parados. Mas nos capítulos seguintes a história começa a desenvolver-se e a prender a nossa atenção, ficamos à espera que aconteça uma coisa, mas acontece outra completamente diferente. Leiam porque vão gostar! Eu li e adorei!”

Sandra Soares

“O livro mostra-nos que, por vezes, temos que nos unir para atingir os nossos objectivos, pois unidos somos todos mais fortes, nem que para isso seja necessário ultrapassar as barreiras da língua. No livro, seres completamente diferentes conseguem comunicar entre si e entenderem-se muito bem (os gatos do porto, as gaivotas e os humanos).

É um bom livro, cuja leitura recomendo a todos, pois é um livro de leitura fácil que se lê rapidamente.”

David Martins

“Gostei de ler esta obra porque me identifico com o gesto solidário de Zorbas de ajudar um ser diferente, sem olhar à sua raça. Penso que este livro pretende sensibilizar-nos para a importância da aceitação e respeito de seres diferentes, independentemente da sua cor, raça, crenças religiosas e opções sexuais.

O episódio que mais me marcou foi a morte de Kengah pois fez-me pensar no mal que estamos a fazer ao nosso planeta.

Recomendo a leitura desta fábula porque se todos tivermos um pouco da atitude altruísta de Zorbas e dos seus amigos, poderemos fazer um mundo melhor para as gerações vindouras.”

José Ferreira

“Gostei muito da leitura deste livro, mesmo não tendo por hábito ler. Penso que é um livro cuja história nos capta bastante a atenção: ficamos presos à história e queremos sempre continuar a ler para saber o que vai acontecer a seguir.”

Diogo Silva

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s